domingo, novembro 12, 2006

E QUEM ESTÁ ATRAPALHANDO

Foi muito divertidinho fazer princadeira com o slogan PTralha da reeleição de Lulla, o famoso "deixa o homem trabalhar!". Mas já é hora do presidente entender que a posse de seu segundo mandato já foi. A festa de primeiro de janeiro é apenas uma cerimônia pró-forma.

O presidente age como se seu mandato tivesse acabado e o próximo ainda estaria para começar. Imagina que pode nos deixar neste hiato de bom senso e trabalho, esperando para negociar as mudanças de ministério para depois do natal.

Ora Sr. presidente, agora já é hora de começar a cumprir suas promessas. É hora de deixar de demagogia e partir para a ação, o congresso de 2007 não será mais brando que o de 2006, os partidos e líderes continuam os mesmos, algumas carinhas mudaram, mas quem dava as cartas antes, continuará dando agora. O Sr. era presidente antes e continuará agora, não haverá transição, a campanha foi um episódio de três meses em um governo de oito. Se quiser passar para a posteridade como um presidente de verdade, só lhe restam estes quatro anos. Mãos à obra.

Deixar trabalhar nós ja deixamos, mas tem que querer e principalmente começar.

Um comentário:

maroto disse...

Uma universitária cursava o sexto semestre da Faculdade. Como é comum no meio universitário, pensava que era de esquerda e estava a favor da distribuição da riqueza. Tinha vergonha de seu pai. Ele era de direita contra os projetos que “davam benefícios aos que não mereciam e imposto mais altos para os que conseguiram ganhar mais dinheiro”. A maioria dos seus professores tinha afirmado que as idéias dele eram equivocadas.

Por tudo isso, um dia, decidiu enfrentar o pai. Falou com ele sobre o materialismo histórico e a dialética de Max, procurando mostrar que ele estava errado ao defender um sistema tão injusto como o da direita.

No meio da conversa o pai perguntou:

- Como vão as aulas?

-Vão bem, respondeu ela. A maioria das minhas notas é 9, mas me custa muito trabalho conseguí-las. Não tenho vida social, durmo pouco, mas vou em frente.

O pai prosseguiu.

– E sua amiga Sônia, como vai?

Ela respondeu com muita segurança:

- Muito mal. A sua média é 3, principalmente porque passa os dias em shoppings e em festas. Estuda pouco e algumas vezes nem vai às aulas. Com certeza repetirá o semestre.

O pai olhando nos olhos da filha, aconselhou:

- Que tal se você sugerisse aos professores que transferissem 3 pontos das suas notas para a Sônia. Com isso vocês duas teriam a mesma media. Não seria um bom resultado para você, mas seria uma boa distribuição de notas para permitir a futura aprovação de vocês duas.

Ela indignada retrucou:

- Porque? Eu trabalhei muito para conseguir as notas que tive! Não acho justo que todo o meu trabalho seja simplesmente dado à outra pessoa!

Seu pai, então, a abraçou, carinhosamente, dizendo:

- Bem-vinda à direita.