quarta-feira, agosto 02, 2006

ENFIM JUNTOS

A boa notícia de campanha é o acordo entre os três candidatos do PSDB, Alckmin, Serra e Aécio, finalmente selaram sua colaboração para vencer o PT.

Numa padaria, com direito a café com leite, os três tucanos mostram ao eleitorado que agora a música será diferente. Com preferência sólidas e possibilidade de encerrarem a fatura já no primeiro turno, os dois candidatos ao governo eram o maior entrave para a decolada de Alckmin.

Com a reeleição enterrada no Congresso e o fim da possibilidade de Alckmin ficar oito anos no palácio do planalto, abrindo o caminho para um dos outros dois, o apoio é líquido e certo. Até mais imediato, pois agora quem tiver a preferência de Alckmin já larga na pole.

No QG PTralha a apreensão é grande, mudanças estratégicas sendo implantadas, aumento do tempo de camapanha para o presidente (como se fosse possível), líberação de verbas eleitoreiras, viagens e palanques, todo o jogo sujo virá para conter o PSDB.

Aguardemos ansiosamente as pesquisas.

Alckmin e Aécio tentam aparar arestas

Alckmin, Serra e Aécio elaboram estratégia conjunta de governo

6 comentários:

luizao disse...

Eu sabia que um dia eles iam cair em grave delito: isto é FORMAÇÃO DE QUADRILHA, gente!...

Tiago Motta disse...

Finalmente eles se uniram pra mostrar que o verdadeiro inimigo tem 9 dedos.

Lucas disse...

É reconforcante REVER UMA CABEÇA LÚCIDA E INTELIGENTE FAZENDO ESTE TIPO DE COMENTÁRIO.


QUEM É O ALI BABÁ?

http://www.youtube.com/watch?v=0ofad8OF0bU&NR

Jussara disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Carl Amorim disse...

Cometário de Jussara, pau-mandado da quadrilha PTralha, foi excluído por total falta de sentido, relevância ou veracidade.

A referida figura é persona non grata neste blog, por defender o crime organizado no poder público e por mentir descaradamente a serviço de um partido político

Sessé disse...

Não é por nada não. Mas Aécio só desceu do muro, após ver o ALckmin subir e vislumbrar a possibilidade de vitória.Ah, que falta faz um partido e um candidato de centro-direita, classe média, conservador nesta nação.