segunda-feira, agosto 14, 2006

TEORIA DO PALHAÇO

O palhaço é o único personagem do circo que desperta emoções antagônicas. Uma parte da audiência adora enquanto outra chega a ter medo. Minhas filhotas estão nas duas pontas, uma adora a outra não e diz ter medo deles, como se soubesse de algo sobre o personagem que o primeiro grupo e a irmã desconhecem.

Particularmente me senti assim enquanto folheava a Época desta semana. A reportagem sobre a Senadora Heloísa Helena, Lô para os íntimos (por ser algo que não tenho a menor intenção de me tornar, fico com Vsa Excia, Senadora ou qualquer outra coisa), mostra claramente a diferença entre o discurso do PSOL e a fala eleitoral da figurinha. expondo a farsa antes de ser tarde demais.

Mas então o que leva 10% dos eleitores a preferirem HH?

Só pode ser a Teoria do Palhaço, ora. Não há explicação!

O estatuto do PSOL é o mais puro lixo ideológico, suas idéias são fruto de um pensamento morto e enterrado nos escombros do muro de Berlim. Dignos de um histórico de 100% de fracasso em qualquer lugar do mundo. Só pode estar soando como piada, trazendo lembranças dos inocentes anos de luta contra a ditadura e o capitalismo selvangem.

Atualmente, com os melhores resultados vindo do setor privado, tanto em desenvolvimento econômico, como em projetos sociais, com bilionários como Bill Gates e Warren Buffet doando BILHÕES de dólares para projetos sociais no mundo. Ouvir a senadora/candidata falar em "pilantropia", desapropriação, combate ao capital, soa como um plano de suicído.

O palhaço é a explicação, 10% do eleitorado ri, se diverte e quer manter aaquela figura ridícula em evidência. O resto, sabendo o que há por trás da máscara, teme.

Teme pelo futuro, pelo pais, por todo o sacrifício feito nos últimos vinte anos, para por este país nos trilhos.

4 comentários:

Tiago Motta disse...

Acho que só na América Latina, a bizarra idéia de comunismo prospera.

Passarim disse...

SOLIDARIEDADE PARA TRANSFORMAR
SOLIDARIEDADE PARA MUDAR E TRANSFORMAR

Somos no mundo moderno o que na linguagem mais simples e geral da internet denominou-se “Internauta”. Mas diferentemente dos demais nos destacamos por que não somos somente internautas, somos ao mesmo tempo “blogueiros”, aqueles que escrevem com total liberdade. Alguns sites tem inovado e usado o blog como um tipo de mídia, no qual jornalistas e outros segmentos profissionais colocam notícias, informações e comentários da sua área (profissional, política, esportes, televisão, arte, educação, cultura, cinema, música, meio ambiente, saúde, lazer, etc.). Pertencemos à elite da mídia, pois representamos não mais que 2 % da sociedade brasileira com poder de comunicação. Pode parecer pouco, mas é este pequeno segmento que faz a repercussão, discute e forma a opinião, o pensamento dos outros 98 % da sociedade. É neste nosso minúsculo seguimento que a maioria (98%) busca informação, conhecimento, em síntese, o saber. Este fato nos torna responsável pelo rumo que pode tomar as decisões mais importantes deste país. Cada um de nós está ligado a uma comunidade, seja profissional, religiosa, desportista, cultural, etc., onde discutimos e aqui repercutimos essa discussão, contribuindo, conscientes ou não, para a formação do pensamento nacional. Pensamos diferentes, mas sonhamos o mesmo sonho. Queremos o mesmo para todos, um País onde haja liberdade e oportunidade iguais para todos. Se sonharmos o mesmo sonho e queremos o mesmo para todos, então podemos juntos realizar a mudança para a transformação em benefício de todos. Basta nos unirmos para este objetivo, transformando esta nossa rede em uma corrente resistente, solidária e capaz de mudar para transformar

Passarim disse...

"Queremos a liberdade pela liberdade e através de cada circunstância particular. E, ao queremos a liberdade, descobrimos que ela depende inteiramente da liberdade dos outros, e que a liberdade dos outros depende da nossa." Jeam-Paul Sartre.

PM Corrupto disse...

Bill Gates? Não fala besteira! Só o Brasil investiu mais em social do que esse pessoal todo ai. Imagina o resto do mundo. Qualquer país tem políticas públicas e ficar dependendo de doações de milionários é ridículo. Filantropia, fala sério...
Mais uma coisa, palhaço é o chuchu que deve tar rindo até agora das pesquisas